A menos de um mês do fim do prazo, 1,83 milhão de pessoas ainda não sacaram o abono

12/06/2017 - 15:59 - Outros

Prazo final para retirar o benefício em agências da Caixa, Banco do Brasil ou casas lotéricas vai até 30 de junho

A menos de um mês do fim do prazo, 1,83 milhão de pessoas ainda não sacaram o abono

O prazo final para sacar o Abono Salarial do PIS/Pasep ano-base 2015 é 30 de junho, mas até agora 1,83 milhão de trabalhadores ainda não procuraram uma agência bancária para retirar o benefício. A maioria é das regiões Sudeste e Sul, sendo que quase um terço (520.747) é de São Paulo. Os demais estados com maior número de trabalhadores que ainda não sacaram o abono são, nesta ordem: Minas Gerais (189.635), Rio de Janeiro (184.816), Paraná (128.049) e Rio Grande do Sul (118.683).

O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, lembra que os trabalhadores têm menos de um mês para procurar uma agência da Caixa ou do Banco do Brasil e sacar o benefício. “O Abono Salarial é um direito que o trabalhador tem. Esse dinheiro é do trabalhador, portanto não perca o prazo”, aconselha.

Ronaldo Nogueira lembra que, no exercício anterior, mais de 22,61 milhões de trabalhadores sacaram o Abono Salarial do PIS/Pasep ano-base 2014, o que correspondeu a 95,93% do total de pessoas com direito ao benefício no país. Foi a segunda maior taxa de cobertura da história dos pagamentos do abono – o recorde foi em 2009, quando o percentual de saques chegou a 96,3%.

O chefe da Divisão do Seguro-Desemprego e Abono Salarial do Ministério do Trabalho, Márcio Ubiratan Britto, explica que, depois de encerrado o período de saques, o dinheiro do abono salarial voltará para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Ele será usado para o pagamento de benefícios como o Seguro-Desemprego e o Abono Salarial do próximo ano.

Têm direito ao Abono Salarial ano-base 2015 quem estava inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos, tenha trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias em 2015 com remuneração mensal média de até dois salários mínimos e tenha tido seus dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

O valor do abono vai depender de quanto tempo a pessoa trabalhou com carteira assinada no ano-base. Se ela trabalhou durante os 12 meses, vai receber o valor total do benefício, que é de um salário mínimo (R$ 937). Se trabalhou por apenas um mês, vai receber o equivalente a 1/12 do salário (R$ 78) e assim sucessivamente.

Para saber se tem direito
O Ministério do Trabalho disponibiliza uma ferramenta de consulta para os trabalhadores saberem se tem direito ao Abono Salarial Ano-Base 2015. Basta acessar aqui, digitar o número do CPF ou do PIS/Pasep e a data de nascimento e consultar.

A Central de Atendimento Alô Trabalho do Ministério do Trabalho, que atende pelo número 158, também tem informações sobre o PIS/Pasep.

Como sacar
Para sacar o Abono do PIS, o trabalhador que tem Cartão Cidadão e senha cadastrada pode se dirigir aos terminais de autoatendimento da Caixa ou a uma casa lotérica. Se não tiver o Cartão Cidadão, pode receber o abono em qualquer agência da Caixa mediante apresentação de documento de identificação. Informações podem ser obtidas pelo telefone 0800-726 02 07 da Caixa.

Os servidores públicos que têm direito ao Pasep precisam verificar se houve depósito em conta. Caso isso não tenha ocorrido, devem procurar uma agência do Banco do Brasil e apresentar um documento de identificação. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 0800-729 00 01, do Banco do Brasil.


Confira o número de trabalhadores que não sacaram o abono em todo o país:

REGIÃO

UF

Trabalhadores

Taxa de

Cobertura

Valor Total Pago (R$)

Trabalhadores

Não Pagos

Identificados

Pagos

NORTE

1.384.051

1.273.989

92,05%

909.767.096,43

110.062

Acre

63.261

60.676

95,91%

           43.933.065,20

                  2.585

 Amapá

57.451

51.924

90,38%

           36.551.712,35

                  5.527

 Amazonas

333.635

304.849

91,37%

          211.662.021,38

                28.786

 Pará  

564.755

515.119

91,21%

          376.332.383,42

                49.636

 Rondônia

179.521

167.180

93,13%

          116.493.892,18

                12.341

 Roraima

44.127

41.717

94,54%

           29.040.888,54

                  2.410

 Tocantins

141.301

132.524

93,79%

           95.753.133,36

                  8.777

NORDESTE

5.489.054

5.233.972

95,35%

3.820.230.837,96

255.082

Alagoas

322.305

309.623

96,07%

          222.830.542,50

                12.682

 Bahia

1.412.967

1.347.411

95,36%

          980.708.041,50

                65.556

 Ceará

990.462

939.828

94,89%

          692.185.458,14

                50.634

 Maranhão

418.272

394.712

94,37%

          285.240.164,95

                23.560

 Paraíba

415.066

401.593

96,75%

          301.715.249,38

                13.473

 Pernambuco

1.012.563

960.197

94,83%

          692.272.141,09

                52.366

 Piauí

284.616

277.471

97,49%

          203.232.233,15

                  7.145

 Rio Grande do Norte

391.349

373.644

95,48%

          273.610.053,40

                17.705

 Sergipe

241.454

229.493

95,05%

          168.436.953,85

                11.961

CENTRO-OESTE

1.916.439

1.726.902

90,11%

1.185.052.893,39

189.537

Distrito Federal

411.204

350.767

85,30%

          245.747.248,67

                60.437

 Goiás

810.164

743.186

91,73%

          511.686.242,43

                66.978

 Mato Grosso

372.099

336.272

90,37%

          225.666.580,05

                35.827

 Mato Grosso do Sul

322.972

296.677

91,86%

          201.952.822,24

                26.295

SUDESTE

11.404.892

10.471.334

91,81%

7.290.914.251

933.558

Espírito Santo

531.027

492.667

92,78%

          348.872.425,25

                38.360

 Minas Gerais

2.879.438

2.689.803

93,41%

       1.908.874.543,24

              189.635

 Rio de Janeiro

2.143.776

1.958.960

91,38%

       1.375.841.963,97

              184.816

 São Paulo

5.850.651

5.329.904

91,10%

       3.657.325.318,37

              520.747

SUL

4.056.921

3.711.032

91,47%

2.550.954.456,05

345.889

Paraná

1.545.264

1.417.215

91,71%

          979.678.658,19

              128.049

 Rio Grande do Sul

1.474.851

1.356.168

91,95%

          927.688.196,95

              118.683

 Santa Catarina

1.036.806

937.649

90,44%

          643.587.600,91

                99.157

TOTAL BRASIL

24.251.357

22.417.229

92,44%

15.756.919.534,66

1.834.128