Impostos estaduais de SP poderão ser pagos no cartão de crédito

05/02/2019 - 11:48 - Fiscal

Os paulistas poderão pagar seus impostos via cartão de crédito, segundo anunciou o governador João Doria (PSDB) no dia 18 de janeiro de 2019.

A medida vale para todos os impostos estaduais, como ICMS e IPVA, por exemplo.

"A partir de agora, todos os pagamentos de tributos do Estado de São Paulo poderão ser feitos por meio de cartão de crédito", disse Doria.

O governador afirmou que a medida tem o objetivo de "facilitar a vida das pessoas, melhorar a funcionalidade, reduzir a burocracia e garantir também o recebimento dos impostos".

Segundo o secretário de Fazenda e Planejamento, Henrique Meirelles (MDB), o governo está em fase final de negociação com as operadoras de cartões para assegurar que o recebimento dos valores pelo estado seja o mais rápido possível.

O governo ainda negocia a possibilidade de parcelar os tributos e as taxas que serão aplicadas.

Meirelles afirmou que o pagamento via cartão será mais ágil, eficiente e digital.

"É um sistema desburocratizado, vai eliminar grande parte da estrutura de papéis, normativas etc.", disse.

O governo anunciou ainda o lançamento de um fundo imobiliário que poderá alcançar até R$ 1 bilhão na Bolsa a partir de março.

O fundo é composto de 264 imóveis em 56 municípios que já não têm utilidade para o governo --ao contrário, geram gastos com manutenção. A verba capitalizada será usada para investimentos, não custeio.

A receita esperada para 2019 com a venda dos ativos imobiliários é de R$ 300 milhões, segundo Meirelles.

Os imóveis estão sob administração do consórcio Socopa & TG Core, vencedor do pregão feito em janeiro de 2018 para contratação de serviços para estruturar, administrar e operar o Fundo de Investimento Imobiliário.

O consórcio ficará responsável pela administração do fundo por cinco anos.

A empresa terá 0,2% de cada imóvel vendido.

O fundo já foi registrado na CVM (Comissão de Valores Mobiliários). A alienação dos imóveis e a autorização para a constituição do fundo já haviam sido aprovadas pela Assembleia Legislativa.

Outros fundos imobiliários estão sendo estruturados. O estado tem 22 mil imóveis sem utilidade.

Fonte: Folhapress.